ESTRATÉGIAS TRAÇADAS PELOS ENFERMEIROS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE PARA O ENFRENTAMENTO DO ALCOOLISMO ENTRE MULHERES

Kelly Matos Dias, Amanda Fernandes Cardoso Paz, Janiane Alves de Almeida, José Francisco Borges, Érika Marina Rabelo, Shirley Pereira de Almeida

Resumo


Introdução: O abuso e a dependência do álcool entre mulheres é um problema crescente na área da saúde. Nesse contexto, a atenção primária à saúde (APS) é um espaço importante para o atendimento, pois tem papel fundamental na averiguação, na prevenção e nos cuidados à população em nível mais local. Entende-se que o enfermeiro da APS possui grande contato com a mulher/família, pois ao realizar acolhimento destas pessoas torna-se corresponsável pela criação de estratégias para melhor abordagem do problema. Objetivo: compreender quais as estratégias traçadas pelos enfermeiros da APS para o enfrentamento do alcoolismo entre mulheres. Métodos: O método utilizado para o levantamento de dados foi a busca por artigos na Biblioteca Virtual da Saúde e realização de revisão integrativa. Como critério de inclusão, utilizou-se idioma português, artigos disponíveis completos e corte temporal de 2004 a 2016. Resultados: Foram selecionados 18 artigos para análise. Os quais demonstraram que entre as estratégias realizadas pelos enfermeiros na APS para o enfrentamento do alcoolismo entre mulheres são: o desenvolvimento de ações educativas que visem à redução ou evitem o consumo de álcool por mulheres, além do atendimento individual com cada mulher centrado em suas necessidades individuais. Conclusão: O nível de atenção à saúde mais próximo da realidade dos usuários é a APS sendo este nível de atenção o melhor espaço para a compreensão da problemática do alcoolismo entre as mulheres no Brasil e de seus fatores relacionados, no qual o enfermeiro é o profissional que primeiramente lida com essa situação na APS.

 

Descritores: Alcoolismo; Saúde da mulher; Atenção primaria à saúde; Enfermagem.


Texto completo:

PDF

Referências


Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA). Problemas sociais decorrentes do uso de álcool. São Paulo: CISA, 2018 [citado em 11 abr 2018] Disponível em: http://www.cisa.org.br/artigo/221/problemas-sociais-decorrentes-uso-alcool.php

Brasil Ministério da Saúde. Guia Estratégico para o Cuidado de Pessoas com Necessidades Relacionadas ao Consumo de Álcool e Outras Drogas: Guia AD. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2015 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: https://repositorio.observatoriodocuidado.org/bitstream/ handle/handle/1275/Guia%20estrategico.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Pimentel J. II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas mostra o consumo de álcool crescente e desigual pela população brasileira. Rio de Janeiro: Portal DSS Brasil, 2013 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http:// dssbr.org/site/2013/06/ii-levantamento-nacional-de-alcool-e-drogas-mostra-o-consumo-de-alcool-crescente-e-desigual-pela-populacao-brasileira/

Garcia L P, Freitas LRS. Consumo abusivo de álcool no Brasil: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Epidemiol Serv Saúde 2015 abr-jun;24(2):227-237.

Vieira LB, Cortes LF, Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC, Terra MG. Abuso de álcool e drogas e violência contra as mulheres: denúncias de vividos. Rev Bras Enferm 2014 may-jun;67(3):366-372 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n3/0034-7167-reben-67-03-0366.pdf

Santos AM, Silva MRS. A experiência de cuidar da mulher alcoolista na família. Rev Esc Enferm USP 2012 apr;46(2):364-371.

Moraes C L. Acolhimento de usuários de álcool por profissionais de enfermagem em equipes de Saúde da Família do município de Campinas, SP [dissertação]. São Paulo: Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo; 2013. [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http://www.saude.sp.gov.br/resources/ instituto-de-saude/homepage/mestrado-profissional/celsoluisdemoraes-dissertacaocompleta.pdf

Pillon SC, Luis MAV. Modelos explicativos para o uso de álcool e drogas e a prática da enfermagem. Rev Latino-am Enferm 2004 jul-aug;12(4):676-682 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v12n4/ v12n4a14.pdf

Pillon SC, Santos MA, Florido LM, Cafer JR, Ferreira PS, Scherer ZAP, et al. Consequências do uso de álcool em mulheres atendidas em um Centro de Atenção Psicossocial. Rev Eletronica Enferm 2014 abr-jun;16(2):338-345. [citado em 11 abr 2018] Disponível em: https://www.fen.ufg.br/revista/v16/ n2/pdf/v16n2a09.pdf

Soares J, Mercês NP, Vargas D. Estratégias de cuidados de enfermagem com usuários de álcool publicados nos anais CBEn . Rev Pesqui Cuid Fundam 2014 jul-sept;6(3):1256-1267 [citado em 11 abr 2018] Disponível em: http://www. redalyc.org/pdf/5057/505750623038.pdf

Vargas D. Atitudes de enfermeiros frente as habilidades de identificação para ajudar o paciente alcoolista. Rev Bras Enferm 2012 mar-abr;63(2):190-195.

Gonçalves SSPM, Tavares CMM. Atuação do enfermeiro na atenção ao usuário de álcool e outras drogas nos serviços extra- hospitalares. Esc Anna Nery Rev Enferm 2007 dez;11(4):586-592 [citado em 11 abr 2018] Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v11n4/v11n4a05

Souza JG, Lima JMB, Santos RS. Alcoolismo feminino: subsídios para a prática profissional da enfermagem. Esc. Anna Nery Enferm 2008 dez;12(4):622-629 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v12n4/ v12n4a03.pdf

Leão AMTB. O alcoolismo no universo feminino: Produção científica sobre alcoolismo feminino em periódicos brasileiros de enfermagem [dissertação]. Brasília: Universidade de Brasília, 2015 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http://bdm.unb.br/bitstream/10483/14044/1/2015_ AmandaMessiasTorquatoBitesLeao.pdf

Monteiro CFS, Dourado GOL, Júnior CAGG, Freire AKN. Relatos de mulheres em uso prejudicial de bebidas alcoólicas. Esc. Anna Nery Enferm 2011 july-sept;15(3):567-572 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em:http://www.scielo. br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452011000300018

Oliveira AM, Santos AJRB, Alvarez FTLC, Enokibara MP, Medeiros MF. Estudo das percepções de mulheres em idade fértil sobre os efeitos da ingestão de bebidas alcoólicas durante a gravidez como proposta para sistematização de práticas de ensino pela enfermagem para a prevenção dos transtornos do espectro alcoólico fetal. J Res: Fundam Care Online 2016 Jan-mar;8(1):3860-3872 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http://www.seer. unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/download/4491/pdf_1801

Pires ROM, Ferro SBG, Büchele F, Oliveira HM, Gonçalves MJF. Enfermeiro de Saúde da Família na Amazônia: conceitos e manejo na temática do uso de álcool. Rev Esc Enferm USP 2011;45(4):926-932 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0080- 62342011000400019&script=sci_abstract&tlng=pt/

Vargas D, Labater C. Atitudes de enfermeiros de hospital geral frente ao uso do álcool e alcoolismo. Rev Bras Enferm 2006 jan-feb;59(1):47-51 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0034-71672006000100009

Fornazier ML, Siqueira MM. Consulta de enfermagem a pacientes alcoolistas em um programa de assistência ao alcoolismo. J Bras Psiquiatr 2006;55(4):280- 287 [citado em 11 abr 2018] Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/ jbpsiq/v55n4/a04v55n4.pdf

Vargas D, Oliveira MAF, Luís MAV. Atendimento ao alcoolista em serviços de atenção primária à saúde: percepções e condutas do enfermeiro. Acta Paul Enferm 2010;23(1):73-79 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http:// www.scielo.br/pdf/ape/v23n1/12.pdf

Magalhães FE, Coiado CRP. Assistência de enfermagem ao paciente etilista: uma análise dos últimos oito anos. Rev Inst Ciênc Saúde 2007; 25(2):113- 119 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: https://www3.unip.br/presencial/ comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2007/02_abr_jun/V25_N2_2007_p113- 119.pdf

Silva SED, Padilha MICS, Borenstein MS, Spricigo JS. Alcoolismo e a produção científica da enfermagem brasileira: uma análise de 10 anos. Rev Eletr Enfer 2011 abr-jun;13(2):276-84 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/revista/v13/n2/v13n2a14.htm

Ortega LB, Ventura CA. Estou sozinha: a experiência de enfermeiros no cuidado do usuário de álcool e drogas. Rev Esc Enferm USP 2013;47(6):1381- 1388 [citado em 11 abr 2018]. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ reeusp/article/view/78104/82184


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 REVISTA INTERDISCIPLINAR CIÊNCIAS MÉDICAS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

INDEXAÇÕES 

     

 

 

 

ISSN 2526-3951