O COTIDIANO DE UM ENFERMEIRO DO CONTROLE DE INFECÇÃO: UM RELATO DE CASO

Giovanna Maciel Cappai, Marcilene Rezende Silva, Camila Augusta dos Santos, Lilian Machado Torres

Resumo


Introdução: A efetiva atuação do enfermeiro que integra a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar é relevante para a prevenção de agravos relacionados à assistência em qualquer instituição de saúde. Objetivo: Caracterizar as dimensões do cotidiano de um enfermeiro de controle de infecção em um hospital de pequeno porte. Métodos: Estudo descritivo, qualitativo, no formato relato de caso. Realizada uma entrevista gravada com a profissional da comissão de um hospital de pequeno porte em Belo Horizonte/MG. A análise do conteúdo baseou-se no referencial de Bardin. Resultados: Após a leitura cuidadosa dos depoimentos foram extraídos os conteúdos expressivos, agrupados em quatro categorias: Tarefas do cotidiano; Desafios em relação à qualidade e à legislação; A adesão como um grande desafio; e Mudanças externas e internas são necessárias. Emergiram questões do cotidiano, muito ligadas à coleta de dados para composição de indicadores, o conhecimento e as dificuldades institucionais para o cumprimento de legislações e metas da gestão da qualidade, além da busca pela execução de protocolos comuns a todas as instituições. Emergiram desafios enfrentados e que comprometem a eficácia dos processos de modo geral. Conclusão: O relato de caso fez emergir as dificuldades do enfermeiro em seu cotidiano para que a legislação seja cumprida e para que a mudança de comportamento dos profissionais extrapole o mero cumprimento de normas. Evidenciou-se a sensibilização como peça chave para a mudança.

 

Palavras chaves: Controle de infecções; Enfermagem; Enfermeiras e enfermeiros; Infecção hospitalar.


Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Curso básico de controle de infecção hospitalar - Caderno C. Métodos de proteção anti-infecciosa. Brasília: Anvisa, 1998. Disponível em: http://www.cvs.saude. sp.gov.br/pdf/CIHCadernoC.pdf

Souza ES, Belei RA, Carilho CMDM, Matsuo T, Yamada-Ogatta SF, Andrade G, et al. Mortality and risks related to healthcare-associated infection. Texto Contexto Enferm 2015;24(1):220-8.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Medidas de prevenção de infecção relacionada à assistência à saúde. Brasília: Anvisa, 2017. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/3507912/ Caderno+4+-+Medidas+de+Preven%C3%A7%C3%A3o+de+Infec%C3%A7 %C3%A3o+Relacionada+%C3%A0+Assist%C3%AAncia+%C3%A0+Sa% C3%BAde/a3f23dfb-2c54-4e64-881c-fccf9220c373

Padoveze MC, Fortaleza CMCB. Healthcare-associated infections: challenges to public health in Brazil. Rev Saúde Pública 2014;48(6):995-1001.

Popil I. Promotion of critical thinking by using case studies as teaching method. Nurse Educ Today 2011;31(2):204-7.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466 de 12/12/2012. Dispõe sobre a regulamentação de pesquisas envolvendo seres humanos. Publicada no DOU de 13 de junho de 2013 – Seção 1 – Página 59. Brasília: CNS, 2012. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/ saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Assarroudi A, Nabavo FH, Amat MR, Ebadi A, Vaismoradi M. Directed qualitatite content analysis: the description and elaboration of its underpinning methods and data analysis process. J Res Nurs 2018;23(1):42-55.

Bardin L. Análise de conteúdo. Trad.: Reto LA, Pinheiro A. São Paulo: Edições 70, 2011, 229p.

Santos AP, Hoyashi CMT, Rodrigues DCGA. Hospital infection control: knowledge acquired at nursing college. Rev Praxis 2010;2(3):29-37.

Moura BA, Medeiros LKS, Moura VDS, Batista AA. The nursing intervention in the control of hospital infections. Intesa 2014;8(2):114-19.

Friedrich AW. Control of hospital acquired infections and antimicrobial resistance in Europe: the way to go. Wien Med Wochenschr 2019; (S1):25-30.

Garvey MI, Bradley CW, Wilkinson MAC, Holden KL, Clewer V, Holden E. The value of the infection prevention and control nurse led MRSA ward round. Antimicrob Resist Infect Control 2019;8:53.

Merkley J, Amaral N, Sinno M, Jivraj T, Mundle W, Jeffs L. Developing a nurse scorecar using the National Database of Nursing Quality Indicators: a Canadian hospital’s experience. Nurs Leadersh 2018;31(4):82-91.

Oliveira HM, Silva CPR, Lacerda RA. Policies for control and prevention of infections related to healthcare assistance in Brazil: a conceptual analysis. Rev Esc Enferm USP 2016;50(3)502-8.

Alves MM, Leal GS, Sadoyama ASP, Fernandes EGV, Gomide MDA, Silveira AOSM, et al. The hospital infection control as an indicator for quality in health care. Blucher Proceedings 2016;2(1):158-72.

Negreiros RV, Brasil ML, Freitas JLGS, Dias JA, Oliveira SP, Medeiros SPC. De olho na infecção: narrativa discente sobre o cotidiano do enfermeiro na Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH). Revista da Universidade Vale do Rio Verde 2016;14(2):946-54.

Miranda AP, Carvalho AKO, Lopes AAS, Oliveira VRC, Carvalho PMG, Carvalho HEF. Nursing contribution to patient safety: integrative review. SANARE 2017;16(1):109-17.

Andrade ES, Castro AAP. The importance of health education for hospital infection control. J Orofac Invest 2016;3(1):43-52.

Sanhudo NF, Moreira MC. The nurse-leader in the management of risk for the prevention and control of infections in patients with cancer. Cogitare Enferm 2016;21(3):1-9.

Barros MMA, Pereira ED, Cardoso FN, Silva RA. Nurses in the prevention and control of infections related to health care. Universitas 2016;14(1):15-21.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 REVISTA INTERDISCIPLINAR CIÊNCIAS MÉDICAS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

INDEXAÇÕES 

     

 

 

 

ISSN 2526-3951