AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS BÁSICOS DE QUALIDADE DE VIDA EM ACADÊMICOS DE MEDICINA DO SEXTO ANO DE GRADUAÇÃO DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA

Hanrafel Caetano Silva, Samuel Victor Vivas de Castro, Paula Lustosa Martins

Resumo


Introdução: Médicos são submetidos a situações adversas, como pressão, carga horária e hábitos de vida não saudáveis.  Os acadêmicos do sexto ano de Medicina se submetem a esses fatores estressores e, assim, estão sujeitos a uma influência negativa em sua saúde e formação. Objetivo: Avaliar fatores ligados à qualidade de vida – sono, alimentação e índice de massa corpórea – e perceber variações desses indicadores ao longo do último ano de graduação. Método: A amostra foi composta por 61 alunos, 67,20% do sexo feminino, que foram avaliados pelo Índice de qualidade de sono de Pittsburg (PSQI), e pelo questionário de frequência alimentar (QFA), em dois períodos, março e outubro, e o IMC foi calculado. Os dados referentes à qualidade do sono foram feitos pelo EpiInfo 7.0, e os dados referentes ao padrão alimentar pelo Virtual Nutri 1.0. Resultados: As coletas apresentaram diferenças nos domínios 3 (duração do sono) e 5 (distúrbios do sono) do PSQI. O IMC médio observado na primeira avaliação foi 22,48 ± 3,45 e, na segunda, 22,13 ± 4,30 kg/m2. Este e o padrão alimentar não apresentaram diferença estatística significativa. Conclusão: O padrão de sono foi modificado entre as duas avaliações sugerindo que há envolvimento de fatores estressantes. Novos estudos devem ser feitos para maiores esclarecimentos sobre o tema.

 

Palavras-chave: Qualidade de vida; Sono; Estudantes de medicina; Índice de massa corpórea.


Texto completo:

PDF

Referências


Fiedler PT. Avaliação da qualidade de vida do estudante de medicina e da influência exercida pela formação acadêmica. 2008. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

Kaplan RM, Ries AL. Quality of life: concept and definition. COPD: Journal of Chronic Obstructive Pulmonary Disease 2007; 4(3) 263-271.

Nogueira-Martins LA. Saúde mental dos profissionais de saúde. Rev Bras Med Trab 2003; 1(1):56-68.

Lee J, Graham AV. Students’ perception of medical school stress and their evaluation of a wellness elective. Medical education 2001;35(7):652-659.

Alves JGB, Tenório M, Anjos AG, Figueroa JN. Qualidade de vida em estudantes de Medicina no início e final do curso: avaliação pelo Whoqol-bref. Rev Bras Educ Med 2010;34(1):91-6.

Müller MR, Guimarães SS. Impacto dos transtornos do sono sobre o funcionamento diário e a qualidade de vida. Estud. psicol. (Campinas) 2007;24(4):519-528.

Vieira CM, Cordeiro SN, Júnior RM, Turato ER. Significados da dieta e mudanças de hábitos para portadores de doenças metabólicas crônicas: uma revisão. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro 2011;16(7):3161-3169.

Hoffwarg HP. Association of Sleep Disorders Centers. Diagnostic Classification of Sleep and Arousal Disorders. 1st Ed., prepared by the Sleep Disorders Committee. Sleep 1979;2:1-137.

Bertolazi AN. Tradução, adaptação cultural e validação de dois instrumentos de avaliação do sono: Escala de sonolência de Epworth e Índice de qualidade de sono de Pittsburgh. 2008. 93p. Tese de mestrado – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Sampson L. Food frequency questionnaires as a research instrument. Clinical nutrition (USA) 1985;4(1):1-59.

Jimenez LG, Martín-moreno JM. Cuestionario de frecuencia de consumo alimentario. In: Majem LIS, Aranceta BJ, Verdú MJ. Nutricíon y Salud Publica: métodos, bases científicas e aplicaciones. España: Masson; 1995. p. 120-125.

Cardoso HC, Bueno FCC, Mata JC, Alves APR, Jochims I, Vaz Filho IHR, Hanna MM. Avaliação da qualidade do sono em estudantes de Medicina. Rev. bras. educ. méd 2009;33(3):349-355.

Mota MC, De-Souza DA, Mello MT, Tufik S, Crispim CA. Estilo de vida e formação médica: impacto sobre o perfil nutricional. Rev. bras. educ. med., Rio de Janeiro 2012;36(3):358-368.

Scheffer MC, Cassenote AJF. A feminização da medicina no Brasil. Rev. Bioét. Brasília 2013;21(2):268-277.

Ward J, Friche AAL, Caiaffa WT, Proietti FA, Xavier CC, Roux AVD. Association of socioeconomic factors with body mass index, obesity, physical activity, and dietary factors in Belo Horizonte, Minas Gerais State, Brazil: The BH Health Study. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro 2015;31(1):182-194.

Pascotto AC, Santos BRM. Avaliação da qualidade do sono em estudantes de ciências da saúde. Revista do Instituto de Ciências da Saúde, São Caetano do Sul 2013;31(3):306-310.

Poyares D, Tufik S. I Consenso Brasileiro de Insônia: introdução. Hypnos: rev sono. 2003 15 out.; São Paulo: Sociedade Brasileira de Sono; 2013; 4-45.

Bielemann RM, Motta JVF, Minten GC, Horta BL, Gigante DP. Consumo de alimentos ultra processados e impacto na dieta de adultos jovens. Rev. Saúde Pública, São Paulo 2015;49(28).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 REVISTA INTERDISCIPLINAR CIÊNCIAS MÉDICAS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

INDEXAÇÕES 

     

 

 

 

ISSN 2526-3951