AVALIAÇÃO DO CRONOTIPO ASSOCIADO À QUALIDADE DE SONO E À SONOLÊNCIA DIURNA NOS ESTUDANTES DE MEDICINA DE UMA FACULDADE DE MINAS GERAIS: UM ESTUDO TRANSVERSAL

Luana Diniz Oliveira Vasconcellos, Mariana Teixeira de Carvalho Antonucci Pacheco, Ester Sena Gomes de Almeida, Iana Talita de Oliveira Couto, Jad Oliveira, Alexandre de Aguiar Ferreira

Resumo


Introdução: O cronotipo é a diferença individual que explica as variações na expressão rítmica de padrões biológicos e comportamentais, e pode ser classificado como matutino, vespertino ou intermediário. A sincronização do ciclo sono-vigília para estudantes de Medicina é prejudicada pelas demandas acadêmicas, que potencialmente afetam na qualidade de sono. Objetivo: Identificar os cronotipos dos estudantes de Medicina de uma faculdade em Minas Gerais e relacionar com qualidade de sono, sonolência diurna, dados sociodemográficos. Método: Estudo do tipo observacional, transversal envolvendo 274 estudantes de Medicina. Foram utilizados Morningness-Eveningness, Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh, Escala de Sonolencia de Epworth e questionário sociodemográfico. Resultados: Os participantes, majoritariamente, apresentaram cronotipo intermediário, má qualidade de sono e sonolência diurna moderada. Houve associação significativa entre o cronotipo e a qualidade de sono, sendo que os vespertinos tendem a ter pior qualidade do sono. A análise demonstrou que má qualidade do sono apresenta maior associação com sonolência diurna moderada. Além disso, foi observado que os participantes dos períodos iniciais do curso tendem a pior qualidade de sono e sonolência diurna moderada. Não houve associação significativa entre os outros dados avaliados. Conclusão: Constatou-se que a maioria da amostra apresenta cronotipo intermediário e sonolência diurna moderada, e que há relação da vespertinidade com pior qualidade de sono. Além de que a má qualidade de sono está associada a maior sonolência diurna moderada. Observou-se, por fim, que nos períodos iniciais há maior propensão a pior qualidade de sono e maior sonolência diurna moderada.

Texto completo:

PDF

Referências


Andreoli CPP. Desempenho acadêmico dos alunos do turno noturno e suas relações com o ciclo vigília‐sono e cronótipo. Campinas: Dissertação (Mestrado) - Curso de Enfermagem, Universidade Estadual de Campinas, 2009. 96p.

Duarte M; Silva CA. Identificação do cronotipo e perfil cronobiológico de uma população de acadêmicos de Ciências Biológicas da Unimep. Saúde Rev, 2012;12(31):53-60.

Almondes KM. Tempo na psicologia: contribuição da visão cronobiológica à compreensão biopsicossocial da saúde. Psicol. cienc. prof. 2006;26(3):353-359.

Rodrigues PFS, Pandeirada JNS, Marinho PI, Bem-Hajaab P, Silva CF, Ribeiro L, et al. Morningness–eveningness preferences in Portuguese adolescents: Adaptation and psychometric validity of the H&O questionnaire. Personality And Individual Differences 2016;88:62-65.

Bertolazi AN. Tradução, adaptação cultural e validação de dois instrumentos de avaliação do sono: Escala de sonolência de Epworth e Índice de qualidade de sono de Pittsburgh. Porto Alegre: Dissertação (Mestrado) - Curso de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2008, 93 p.

Alam MF, Tomasi E, Lima MS, Areas R, Menna-Barreto L. Caracterização e distribuição de cronotipos no sul do Brasil: diferenças de gênero e estação de nascimento. J. bras. Psiquiatr 2008;57(2): 83-90.

Barbosa FF. Estampa temporal na memória de reconhecimento em estudantes universitários. Natal: Dissertação (Mestrado) - Curso de Psicobiologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007, 80p.

Souza SBC. Turno de trabalho, cronotipo e desempenho de memória e atenção de profissionais da área da saúde de dois serviços de emergência da cidade de Porto Alegre/RS/Brasil. Porto Alegre: Tese (Doutorado) - Curso de Psiquiatria, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004, 93p.

Cardoso HC, Bueno FCC, Mata JC, Alves APR, Jochims I, Filho IHRV, et al. Avaliação da qualidade do sono em estudantes de Medicina. Rev. bras. educ. med 2009;33(3):349-355.

Rique GLN. Cronotipos e qualidade do sono em estudantes de medicina da Universidade Federal da Paraíba, Brasil. João Pessoa: TCC (Graduação) - Curso de Medicina, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2012,19p.

Lima J. Aplicações dos princípios da cronobiologia nas atividades escolares e sociais. In: PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. Os Desafios da Escola Pública Paranaense na Perspectiva do Professor PDE: Produção Didático-pedagógica, 2013. Curitiba: SEED/PR., 2016, (2).

Benedito-Silva AA, Menna Barreto LS, Marques N, Tenreiro S. Self-assessment questionnaire for the determination of morningness-eveningness types in brazil. Progress in Clinical and Biological Research. Chronobilogy 1990;341:89-98.

Schneider MLM. Estudo do cronotipo em estudantes universitários de turno integral e sua influência na qualidade do sono, sonolência diurna e no humor. Porto alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina, Programa de Pos-Graduacao em Medicina, Ciencias Medicas, 2009,76p.

Santos TCMM, Martino MMF, Sonati JG, Faria AL,Nascimento EFA. Qualidade do sono e cronotipo de estudantes de enfermagem. Acta Paulista de Enfermagem 2016;29(6):658-663.

Santos VS, Schneider MLM, Dantas G, Caumo W, Hidalgo MPL. Estudo dos cronotipos em estudantes universitários de Passo Fundo, RS, Brasil. Semana Científica do Hospital de Clínicas De Porto Alegre, Anais 2018, 1–1.

Barclay NL, Eley TC, Buysse DJ, Archer SN, Gregory AM. Diurnal preference and sleep quality: same genes? A study of young adult twins. Chronobiol. Int 2010;27:278–296.

Fernandes MSD. Avaliação do padrão de sono dos estudantes de medicina da Escola Multicampi de Ciências Médicas do Rio Grande do Norte. Natal: Escola Multicampi de Ciências Médicas do Rio Grande do Norte, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2019,88p.

Santos RC, Andrade TG. Evidências do papel mediador da temperatura ambiental na associação entre fotoperíodo ao nascimento e cronotipo. Maceió: Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde, Programa de Pós Graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal de Alagoas,2019,37p.

Almeida DJ, Duma TC, Snak AL, Freitas GBL. Variação de Parâmetros Fisiológicos entre Cronotipos Matutino e Vespertino Correlacionada aos Jovens Universitários. Uniciências 2019;23(2):70-76.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 REVISTA INTERDISCIPLINAR CIÊNCIAS MÉDICAS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

INDEXAÇÕES 

     

 

 

 

ISSN 2526-3951