ACHADOS CITOPATOLÓGICOS RELACIONADOS AO CÂNCER DE COLO UTERINO E ASPECTOS CLÍNICOS DE PACIENTES DO SERVIÇO DE GINECOLOGIA DO AMBULATÓRIO DE UMA INSTITUIÇÃO ACADEMICA DE ENSINO

Raul MALUF Tolentino, Paula Piedade Garcia, Marcella Nahas Brandao

Resumo


Introdução: O câncer de colo uterino é um grave problema de saúde. A prevenção dessa doença depende diretamente do rastreamento do carcinoma e de suas lesões precursoras pelo exame citopatológico e de adoção de diretrizes para acompanhamento e tratamento das lesões. Objetivo: Descrever a prevalência das principais alterações citopatológicas relacionadas a neoplasias cervicais na população ambulatorial de uma instituição acadêmica no período de 2014 a 2017 e associá-las a aspectos clínicos. Método: Estudo observacional transversal retrospectivo compreendendo análise de 319 prontuários. Foram descritos os resultados dos exames citopatológicos e estes foram associados à idade, ao número de gestações e partos, aos hábitos de tabagismo e ao uso de contraceptivos hormonais e de barreira. Resultados: Foi encontrada prevalência de 1,57% de alterações citopatológicas ativas. Em 8,15% houve história prévia de lesão tratada com intervenção médica e 0,94% não possuíam alterações, mas faziam controle de uma lesão de baixo grau que regrediu espontaneamente. O tabagismo apresentou uma associação estatisticamente significativa com alterações no exame citopatológico em algum momento da vida (p =0,005). Conclusão: O percentual de alterações citopatológicas indicativas de infecção ativa pelo papilomavírus humano (HPV) na população estudada foi 1,57%. Quando avaliadas alterações em algum período da vida, a prevalência foi de 10,66%. Dentre os aspectos clínicos estudados, o tabagismo se associou à presença de lesões citológicas induzidas por infecção pelo HPV. Fatores como idade, número de gestações e partos, uso de contraceptivos hormonais e de barreira não mostraram diferença significativa na comparação entre os grupos com e sem lesão.

Palavras-chave: Saúde da Mulher; Neoplasias do colo do útero; Teste de Papanicolaou.


Texto completo:

PDF

Referências


Organização Pan-Americana da Saúde. Controle integral do câncer do colo do útero. Guia de práticas essenciais. 1ªed. Washington, DC: Organização Pan-Americana da Saúde; 2016.25p.

De Oliveira Santos, M., 2020. Estimativa/2020 – Incidência de Câncer no Brasil. Revista Brasileira de Cancerologia 2020, 66(1) 135-44.

Instituto Nacional de Câncer. [Internet] 2020. Detecção Precoce. [Acesso em 1 de Maio de 2020] Disponivel em:

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. Diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero, 2. ed. rev. atual. Rio de Janeiro: INCA; 2016.p.86-94.

Camargos, AF, De Melo, VH, Carneiro, MM, Dos Reis, FM. Ginecologia ambulatorial: baseada em evidências científicas. 2. ed. Belo Horizonte: COOPMED, 2002. p.105- 145.

Bruni, L., Barrionuevo-Rosas, L., Albero, G., Serrano, B., Mena, M., Gómez, D., ... & De Sanjosé, S.. ICO/IARC information centre on HPV and cancer (HPV information centre). Human papillomavirus and related diseases in the world. Summary Report, 2017, 27 p. 1138-44.

.Thigpen J. Carcinoma of the cervix and tobacco smoking: Collaborative reanalysis of individual data on 13,541 women with carcinoma of the cervix and 23,017 women without carcinoma of the cervix from 23 epidemiological studies. Yearbook of Oncology. 2007;2007:p. 83-84.

Stockman J. Cervical cancer and hormonal contraceptives: collaborative reanalysis of individual data for 16 573 women with cervical cancer and 35 509 women without cervical cancer from 24 epidemiological studies. Yearbook of Pediatrics. 2009;2009:p.5-6.

International Collaboration of Epidemiological Studies of Cervical Cancer. Cervical Carcinoma and Sexual Behavior: Collaborative Reanalysis of Individual Data on 15,461 Women with Cervical Carcinoma and 29,164 Women without Cervical Carcinoma from 21 Epidemiological Studies. Cancer Epidemiology Biomarkers & Prevention. 2009;18(4):p. 1060- 1069.

Gillet, E, Meys, JF, Verstraelen, H, Bosire, C, De Sutter, P, Temmerman, M, Broeck, DV. Bacterial vaginosis is associated with uterine cervical human papillomavirus infection: a meta-analysis. BMC Infect Dis. 2011; 11: p. 1-10.

Pedrosa, TFM, Filho, SDM. Perfil das mulheres com alterações cervicais em uma cidade do nordeste brasileiro. J. Bras. Patol. Med 2019. Lab. vol.55 no.1 p. 141-150.

Paiva, L. D. C. F., Kemmelmeier, E. G., Sorti Filho, A., Mello, I. C. J. D., Souza, R. J., & Souza, P. D. C. Lesões cancerosas e pré-cancerosas do colo uterino: uma análise citopatológica na região Noroeste do Paraná. Rev. bras. anal. Clin 2009, p. 147-150.

Ayres, ARG. Prevalence and risk factors for HPV infection in cervix uteri of women attended by Family Health Strategy in Juiz de Fora, Minas Gerais.2015. 148 f. Tese Doutorado em Saúde Coletiva – Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015. P. 147-150.

International Collaboration of Epidemiological Studies of Cervical Cancer. Comparison of risk factors for invasive squamous cell carcinoma and adenocarcinoma of the cervix: collaborative reanalysis of individual data on 8,097 women with squamous cell carcinoma and 1,374 women with adenocarcinoma from 12 epidemiological studies. Int J Cancer 2007; p. 120-885.

Ribeiro, CM; Silva, GA. Avaliação da produção de procedimentos da linha de cuidado do câncer do colo do útero no Sistema Único de Saúde do Brasil em 2015. Epidemiologia e Serviços de Saúde 2018, v. 27, p. e2017, 21-24.

Soares, MBO; Silva, SR. Intervenções que favorecem a adesão ao exame de colpocitologia oncótica: revisão integrativa. Revista Brasileira de Enfermagem 2016., v. 69, n. 2, p. 404- 414.

Tobias, AGH, Amaral, RG, Diniz, EM, Carneiro, CM. Quality indicators of cervical Cytopathology tests in the public Service in Minas Gerais, Brazil. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia/RBGO. Gynecology and Obstetrics 2016., v. 38, n. 02, p. 065-070.

Barcelos, MRB, Lima,RCD, Tomasi, E, Nunes, BP, Duro, SMS, Facchini, LA.Quality of cervical cancer screening in Brazil: external assessment of the PMAQ. Revista de saúde publica 2017, v. 51, p. 67.

Teixeira, JC, Maestri, CA, Machado, HC, Zeferino, LC, Carvalho, NS. Cervical cancer registered in two developed regions from Brazil: upper limit of reachable results from opportunistic screening. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia/RBGO Gynecology and Obstetrics 2018. v. 40, n. 06, p. 347-353.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 REVISTA INTERDISCIPLINAR CIÊNCIAS MÉDICAS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

INDEXAÇÕES 

     

 

 

 

ISSN 2526-3951