DEPRESSÃO E COMPORTAMENTOS EM SAÚDE ENTRE IDOSOS BRASILEIROS: DADOS DO ESTUDO LONGITUDINAL DE SAÚDE DOS IDOSOS BRASILEIROS (ELSI-BRASIL)

Manuela Furtado Sacioto, Camila Menezes Sabino de Castro

Resumo


Introdução: Os transtornos mentais se configuram como uma das consequências do envelhecimento populacional. A prática de atividade física, em conjunto com uma alimentação saudável, controle do tabagismo e redução do consumo excessivo de álcool estão relacionados com a melhoria da saúde física e mental de idosos. Objetivo: Verificar os fatores associados ao diagnóstico médico de depressão entre idosos brasileiros, com foco nos comportamentos em saúde. Método: Este estudo transversal foi conduzido em uma amostra probabilística de 5.432 participantes da linha de base do estudo ELSI-Brasil. O desfecho foi o diagnóstico médico de depressão autorreferido. As variáveis explicativas consistiram em fatores sociodemográficos e relacionados à saúde. As análises foram baseadas nas odds ratios (OR) estimadas pela regressão logística e conduzidas separadamente para homens e mulheres. Resultados: Para homens e mulheres, foram observadas associações negativas entre diagnóstico médico de depressão e as variáveis faixa etária de 70-79 anos e autopercepção de saúde como boa; e associação positiva com o número de doenças crônicas. Entre os homens, o diagnóstico médico de depressão esteve associado negativamente com a prática de atividade física e a interação social primária. Ao passo que, entre as mulheres, a raça/cor branca e o tabagismo apresentaram associação positiva com o diagnóstico médico de depressão. Conclusão: Ações de promoção à saúde com foco nos comportamentos em saúde são importantes para os idosos. Além disso, homens e mulheres apresentam diferenças em relação aos fatores associados à depressão.

 

Palavras-chave: Depressão; Envelhecimento; Comportamentos de Risco à Saúde.  


Texto completo:

PDF

Referências


World Health Organization. Depression and Other Common Mental Disordores. Global Health Estimates [Internet]. World Health Organization; 2017, p. 24.

Vos T, Lim SS, Abbafati C, Abbas KM, Abbasi M, Abbasifard M, et al. Global burden of 369 diseases and injuries in 204 countries and territories, 1990–2019: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2019. The Lancet [Internet]. 2020 Oct 17;396(10258):1204–22.

Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Coordenação De Trabalho E Rendimento, Brazil. Ministério Da Saúde. Pesquisa nacional de saúde 2013. Rio De Janeiro: Ministério De Planejamento, Orçamento E Gestão, Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística-Ibge, Diretoria De Pesquisas, Coordenação De Trabalho E Rendimento; 2014.

Almeida E, Mourão I, Coelho E. Mental Health in Elderly: The Effect of Different Types of Physical Activity Programs. Psicologia, Saúde & Doenças. 2018 Jul 31;19(2):390–404.

Ramos FP, Silva SC da, Freitas DF de Gangussu LMB, Bicalho AH, Sousa BV de O, et al. Fatores associados à depressão em idoso. Revista Eletrônica Acervo Saúde. 2019 Jan 9;19(19):e239.

Carneiro JP, Cabral H. A linha ténue entre a demência e depressão no idoso: relato de caso. Revista Portuguesa de Clínica Geral [Internet]. 2016 Mar 1 [cited 2019 Dec 3];32(2):118–224. Available from: http://www.rpmgf.pt/ojs/ index.php/rpmgf/article/view/11735.

Medeiros J, Fernandes L, Coelho R. Depressão no Idoso [Dissertação de Mestrado]. [Faculdade de Medicina da Universidade de Porto]; 2010. p. 32.

Peixoto SV, Mambrini JV de M, Firmo JOA, Loyola Filho AI de, Souza Junior PRB de, Andrade FB de, et al. Physical activity practice among older adults. Revista de Saúde Pública. 2019 Jan 24;52(Suppl 2):5s.

Oliveira D, Ladeira Â, Giacomin L, Pivetta N, Antunes M, Batista R, et al. Depression, Self-Esteem and Motivation of the Elderly to Practice Physical Exercises. Psicologia, Saúde & Doença. 2019 Nov;20(3):803–12.

Costa MFF de L e, Peixoto SV, César CC, Malta DC, Moura EC de. Comportamentos em saúde entre idosos hipertensos, Brasil, 2006. Revista de Saúde Pública. 2009 Nov;43(suppl 2):18–26.

Previdelli AN, Goulart RMM, Aquino R de C de. Balanço de macronutrientes na dieta de idosos brasileiros: análises da Pesquisa Nacional de Alimentação 2008-2009. Revista Brasileira de Epidemiologia. 2017 Mar;20(1):70–80.

Carvalho AA de, Gomes L, Loureiro AML. Tabagismo em idosos internados em instituições de longa permanência. Jornal Brasileiro de Pneumologia. 2010 Jun;36(3):339–46.

Zaitune MP do A, Barros MB de A, Lima MG, César CLG, Carandina L, Goldbaum M, et al. Fatores associados ao tabagismo em idosos: Inquérito de Saúde no Estado de São Paulo (ISA-SP). Cadernos de Saúde Pública. 2012 Mar;28(3):583–96.

Noronha BP, Nascimento-Souza MA, Lima-Costa MF, Peixoto SV. Padrões de consumo de álcool e fatores associados entre idosos brasileiros: Pesquisa Nacional de Saúde (2013). Ciência & Saúde Coletiva. 2019 Nov;24(11):4171–80.

Lima-Costa MF, de Andrade FB, Souza PRB de, Neri AL, Duarte YA de O, Castro-Costa E, et al. The Brazilian Longitudinal Study of Aging (ELSI-Brazil): Objectives and Design. American Journal of Epidemiology. 2018 Jan 31;187(7):1345–53.

World Health Organization. Global recommendations on physical activity for health. Whoint [Internet]. 2010; Available from: https://apps.who.int/iris/handle/10665/44399

Granovetter MS. The Strength of Weak Ties. American Journal of Sociology. 1973 May;78(6):1360–80.

Oliveira MF de, Bezerra VP, Silva AO, Alves M do SCF, Moreira MASP, Caldas CP. Sintomatologia de depressão autorreferida por idosos que vivem em comunidade. Ciência & Saúde Coletiva. 2012 Aug;17(8):2191–8.

Brazil. Departamento De Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília, Df: Ministério Da Saúde; 2007.

Nogueira EL, Rubin LL, Giacobbo S de S, Gomes I, Cataldo Neto A. Screening for depressive symptoms in older adults in the Family Health Strategy, Porto Alegre, Brazil. Revista de Saúde Pública. 2014 Jun;48(3):368–77.

Stopa SR, Malta DC, Oliveira MM de, Lopes C de S, Menezes PR, Kinoshita RT. Prevalência do autorrelato de depressão no Brasil: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Revista Brasileira de Epidemiologia [Internet]. 2015 Dec;18(suppl 2):170–80.

Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Coordenação De Trabalho E Rendimento. Pesquisa nacional de saúde 2013. Acesso e utilização dos serviços de saúde, acidentes e violências. Rio De Janeiro: Ministério De Planejamento, Orçamento E Gestão, Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística-Ibge, Diretoria De Pesquisas, Coordenação De Trabalho E Rendimento; 2014.

Cruz PKR, Vieira MA, Carneiro JA, Costa FM da, Caldeira AP. Difficulties of access to health services among non-institutionalized older adults: prevalence and associated factors. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 2020;23(6).

Boden JM, Fergusson DM, Horwood LJ. Cigarette smoking and depression: tests of causal linkages using a longitudinal birth cohort. British Journal of Psychiatry. 2010 Jun;196(6):440–6.

Lee I-Te, Fu C-P, Lee W-J, Liang K-W, Lin S-Y, Wan C-J, et al. Brain-derived neurotrophic factor, but not body weight, correlated with a reduction in depression scale scores in men with metabolic syndrome: a prospective weight-reduction study. Diabetology & Metabolic Syndrome. 2014;6(1):18.

Reichert CL, Diogo CL, Vieira JL, Dalacorte RR. Physical activity and depressive symptoms in community-dwelling elders from southern Brazil. Revista Brasileira de Psiquiatria. 2011 Mar 18;33(2):165–70.

Silva MJF, Dillon NM, Araújo AC, Andrade BSR, Reis Junior LWF dos, Bonfim Neto LL, et al. A promoção de saúde mental em idosos não-institucionalizados atendidos pelo SUS: gerações do fazer saúde. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão. 2020 Aug 21;17(36):159–66.

Pinto LM, Seidl EMF. Resiliência em Doenças Crônicas: Associação com Ansiedade, Depressão, Variáveis Sociodemográficas e Clínicas [MSc Thesis]. [Universidade de Brasília]; 2020. p. 87.

Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Coordenação De Trabalho E Rendimento, Brazil. Ministério Da Saúde. Pesquisa nacional de saúde 2013. Percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas: Brasil, grandes regiões e unidades da federação. Rio De Janeiro: Ministério De Planejamento, Orçamento E Gestão, Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística-Ibge, Diretoria De Pesquisas, Coordenação De Trabalho E Rendimento; 2014.

Verzola IG, Ferres AM, e Silva MCP, de Queiroz BZ, Sogame LCM, Pampolim G. Características Sociais de Idosos com Sintomas Depressivos e uma Unidade de Saúde de Viória-ES. Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia. 2019;6(12).

Nogueira EJ, Neri AL. Rede de Relações Sociais: um Estudo Transversal com Homens e Mulheres Pertencentes a Três Grupos Etários [PhD Thesis]. [Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação]; 2001. p. 141.

Lima-Costa MF, Barreto SM. Tipos de estudos epidemiológicos: conceitos básicos e aplicações na área do envelhecimento. Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2003 Dec;12(4).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 REVISTA INTERDISCIPLINAR CIÊNCIAS MÉDICAS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

INDEXAÇÕES 

     

 

 

 

ISSN 2526-3951