TRATAMENTO CONSERVADOR COMPARADO AO TRATAMENTO CIRÚRGICO NA REDUÇÃO DA DOR E MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA DE INDIVÍDUOS COM ESCOLIOSE: ESTUDO OBSERVACIONAL TRANSVERSAL

Larissa Teixeira Lage Martins, Letícia Generoso Nunes Queiroz, Patrick Avelino, Kênia Kiefer Parreiras de Menezes

Resumo


Introdução: A escoliose pode levar a alterações físicas e mentais, capazes de gerar quadros álgicos intensos e transtornos psicológicos, diminuindo a qualidade de vida dos indivíduos. Objetivo: Comparar os efeitos do tratamento cirúrgico versus conservador (fisioterapia), na dor e qualidade de vida de indivíduos com escoliose idiopática. Método: Foi realizada uma entrevista com 50 indivíduos. A dor foi avaliada através do questionário Oswestry, e a qualidade de vida através do questionário Scoliosis Research Society-22. Além disso, a diferença também foi investigada de acordo com a classificação da escoliose (leve/moderada e severa). Resultado: Não foram encontradas diferenças significativas para dor e qualidade de vida entre os participantes submetidos à cirurgia ou àqueles que realizaram somente fisioterapia. No entanto, em relação à duração do tratamento fisioterapêutico, para os indivíduos que realizaram cirurgia, a média foi de 19 meses, enquanto para os indivíduos que realizaram somente o tratamento conservador, a média foi de 32. Em relação à análise dos subgrupos, também não houve diferenças significativas entre os tipos de tratamento, tanto para indivíduos com escoliose leve/moderada, como para aqueles com escoliose severa. Conclusão: O presente estudo observou que não existe diferença para dor e qualidade de vida entre indivíduos com escoliose idiopática que realizaram somente tratamento conservador e os que submeteram ao tratamento cirúrgico, tanto para aqueles com escoliose leve/moderada, como com escoliose severa. No entanto, os indivíduos que realizaram tratamento conservador, embora submetidos a um tratamento menos invasivo, passaram maior quantidade de tempo na fisioterapia quando comparados aos que realizaram a cirurgia.

Texto completo:

PDF

Referências


Salate ACB. Mensuração da gibosidade em escoliose. Fisioter Brasil 2003;4(5):360-3.

Marchetti BV, Raupp E, Sedrez JA, Ribeiro RP, Candotti CT. Importância da experiência clínica para a mensuração da curva escoliótica de crianças pela técnica de Cobb. Fisioter Pesqu 2019:26(3):241-6.

Schreiber S, Parent EC, Khodayari Moez E, Hedden DM, Hill DL, Moreau M, et al. Schroth physiotherapeutic scoliosis-specific exercises added to the standard of care lead to better cobb angle outcomes in adolescents with idiopathic scoliosis - an assessor and statistician blinded randomized controlled trial. PLoS One 2016;11(12):e0168746.

Bonorino KC, Borin GS, Silva AHS. Tratamento para escoliose através do método iso-stretching e uso de bola suíça. Cinergis 2007;8(2):1-5.

Parent S, Newton PO, Wenger DR. Adolescent idiopathic scoliosis: etiology, anatomy, natural history, and bracing. Instr Course Lect 2005;54:529-36.

Busscher I, Wapstra FH, Veldhuizen AG. Predicting growth and curve progression in the individual patient with adolescent idiopathic scoliosis: design of a prospective longitudinal cohort study. BMC Musculoskelet Disord 2010;11:93.

Bassani E, Candotti CT, Pasini M, Melo M, La Torre M. Assessment of neuromuscular activation in individuals with scoliosis using surface electromyography. Braz J Phys Ther 2008;12(1):13-19.

Day JM, Fletcher J, Coghlan M, Ravine T. Review of scoliosis-specific exercise methods used to correct adolescent idiopathic scoliosis. Arch Physiother 2019;9:8.

Weinstein SL, Dolan LA, Cheng JC, Danielsson A, Morcuende JA. Adolescent idiopathic scoliosis. Lancet. 2008;371(9623):1527-37.

Romano M, Negrini A, Parzini S, Negrini S. Scientific Exercises Approach to Scoliosis (SEAS): efficacy, efficiency and innovation. Stud Health Technol Inform 2008;135:191-207.

Janicki JA, Alman B. Scoliosis: Review of diagnosis and treatment. Paediatr Child Health 2007;12(9):771-6.

Iunes DH, Cecílio MBB, Dozza MA, Almeida PR. Análise quantitativa do tratamento da escoliose idiopática com o método klapp por meio da biofotogrametria computadorizada. Braz J Phys Ther 2010;14(2):133-40.

Mello AI, Kanitz AC, Martinez FG. Non-invasive interventions in idiopathic scoliosis: a systematic review. Fisioter Mov 2017;30(Suppl. 1):325-33.

Weinstein SL, Dolan LA, Wright JG, Dobbs MB. Effects of bracing in adolescents with idiopathic scoliosis. N Engl J Med 2013;369(16):1512-21.

Cabral LTP, Valesin Filho ES, Ueno FH, Yonezaki AM, Rodrigues LMR. Avaliação da qualidade de vida em pacientes com escoliose idiopática do adolescente após tratamento cirúrgico pelo questionário SF-36. Coluna/Columna 2009;8(3):315-22.

Gotfryd AO, Franzin FJ, Raucci G, Carneiro Neto NJ, Poletto PR. Tratamento cirúrgico da escoliose idiopática do adolescente utilizando parafusos pediculares: análise dos resultados clínicos e radiográficos. Coluna/Columna 2011;10(2):91-6.

Camarini PMF, Rosanova GCL, Gabriel BS, Gianini PES, Oliveira AS. The Brazilian version of the SRS-22r questionnaire for idiopathic scoliosis. Braz J Phys Ther 2013;17(5):494-505.

Vigatto R, Alexandre NM, Correa Filho HR. Development of a Brazilian Portuguese version of the Oswestry Disability Index: cross-cultural adaptation, reliability, and validity. Spine 2007;32(4):481-6.

Boos N, Aebi M. Spinal Disorders: Fundamentals of Diagnosis and Treatment. Springer Science & Business Media, 2008, 1165 p.

Portney LG, Watkins MP. Foundations of clinical research: applications to practice. 3rd ed. Upper Saddle River: Prentice-Hall, 2015.

Ward WT, Friel NA, Kenkre TS, Brooks MM, Londino JA, Roach JW. SRS-22r scores in nonoperated adolescent idiopathic scoliosis patients with curves greater than forty degrees. Spine 2017;42(16):1233-40.

Pellegrino LN, Avanzi O. Prospective evaluation of quality of life in adolescent idiopathic scoliosis before and after surgery. J Spinal Disord Tech 2014;27(8):409-14.

Cabral LTB, Valesin Filho ES, Ueno FH, Yonezaki AM, Rodrigues LMR. Avaliação da qualidade de vida em pacientes com escoliose idiopática do adolescente após tratamento cirúrgico pelo questionário SF-36. Coluna/Columna, 2009;8(3):315-22.

Anwer S, Alghadir A, Abu Shaphe M, Anwar D. Effects of exercise on spinal deformities and quality of life in patients with adolescent idiopathic scoliosis. Biomed Res Int 2015;2015:123848.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 REVISTA INTERDISCIPLINAR CIÊNCIAS MÉDICAS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

INDEXAÇÕES 

     

 

 

 

ISSN 2526-3951