Relação entre atividade e participação de crianças com Paralisia Cerebral

Luiza Lara, Maíra Gabriela, Rejane Vale Gonçalves

Resumo


Introdução: A condição de saúde neurológica mais prevalente na infância é a Paralisia cerebral (PC), que é o conjunto de desordens posturais e de movimentos que acarreta diferentes níveis de limitações funcionais na criança. De acordo com a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF), a PC interage com fatores ambientais e pessoais e impacta na funcionalidade e incapacidade da criança. Objetivo: Investigar a relação entre a atividade (dimensão de atividades diárias, mobilidade e social/cognitivo) e a participação (dimensão de responsabilidade) de crianças com PC. Método: Estudo transversal, observacional no qual foi utilizado o instrumento Inventário de Avaliação Pediátrica de Incapacidade - testagem computadorizada adaptativa (PEDI-CAT) para avaliar a relação entre suas dimensões, Habilidades Funcionais e Responsabilidade, respectivamente, em crianças com PC. Resultados: A amostra consistiu em 19 crianças com PC (57,9% do sexo masculino e 42,1% do sexo feminino), com média de idade de 5 anos e meio. Os resultados da correlação de Spearman mostraram forte relação positiva entre os domínios atividades diárias e responsabilidade e entre mobilidade e responsabilidade e uma relação muito forte entre social/cognitivo e responsabilidade. Conclusão: A associação entre as dimensões apresentadas reforça a existência da relação entre atividade e participação de crianças com PC.

 

Palavras-chave: Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde; Paralisia Cerebral; Atividades Cotidianas; Participação comunitária.


Texto completo:

PDF

Referências


Rosenbaum P, Paneth N, Leviton A, et al. A report: the definition and classification of cerebral palsy April 2006. Dev Med Child Neurol Suppl. 2007;109:8-14.

Organização Mundial de Saúde. Como usar a CIF: Um manual prático para o uso da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). Genebra: OMS. Outubro de 2013.

Rézio GS, Cunha JO do V, Formiga CKMR. Estudo da independência funcional, motricidade e inserção escolar de crianças com Paralisia Cerebral. Rev Bras Educ Espec. 2013;18(4):601-614.

Smits DW, Gorter JW, Van Schie PE, Dallmeijer AJ, Ketelaar M. How do changes in motor capacity, motor capability, and motor performance relate in children and adolescents with cerebral palsy? Arch Phys Med Rehabil. 2014;95(8):1577-1584.

Novak I. Evidence-based diagnosis, health care, and rehabilitation for children with cerebral palsy. J Child Neurol. 2014;29(8):1141-1156.

Thompson SV, Cech DJ, Cahill SM, Krzak JJ. Linking the Pediatric Evaluation of Disability Inventory-Computer Adaptive Test (PEDI-CAT) to the International Classification of Function. Pediatr Phys Ther. 2018;30(2):113-118.

Haley S., Coster W., Dumas H., Fragala M., Moed R. PEDI-CAT Development, Standardization and Administration Manual. Boston: CREcare, 2011

Mancini MC, Coster WJ, Amaral MF, Avelar BS, Freitas R, Sampaio RF. New version of the Pediatric Evaluation of Disability Inventory (PEDI-CAT): translation, cultural adaptation to Brazil and analyses of psychometric properties. Braz J Phys Ther. 2016;20(6):561-570.

Norbert A., Ceolin T., Christo V., Strassburger S., Bonamigo E. A importância da estimulação precoce na microcefalia. Salão do Conhecimento 2016.

Palisano R. et al. Content validity of the expanded and revised Gross Motor Function Classification System. Developmental Medicine and Child Neurology, v. 50, p. 744-750, 2008.

Amaral, Maíra F. Funcionalidade de crianças e jovens com e sem deficiência: validação da versão brasileira do inventário de avaliação pediátrica de incapacidade – testagem computadorizada adaptativa (PEDI-CAT). Tese de Doutorado, Belo Horizonte, 2017.

PEDI-CAT Pediatric Evaluation of Disability Inventory Computer Adaptive Test [Internet]. CRE Care; 2018. Disponível em: https://www.pedicat.com/.

Reedman SE et al. "ParticiPAte CP: um protocolo de uma lista de espera aleatória controlada de uma intervenção de terapia de mudança de comportamento e motivacional para aumentar a atividade física por meio da participação significativa em crianças com paralisia cerebral." BMJ open vol. 7,8 e015918 (2017).

Earde P.T., Praipruk A., Rodpradit P., Seanjumla P. Facilitators and Barriers to Performing Activities and Participation in Children With Cerebral Palsy: Caregivers' Perspective. Pediatr Phys Ther. 2018 Jan;30(1):27-32.

Moreau NG, Bodkin AW, Bjornson K, Hobbs A, Soileau M, Lahasky K. Effectiveness of Rehabilitation Interventions to Improve Gait Speed in Children With Cerebral Palsy: Systematic Review and Meta-analysis. Phys Ther. 2016;96(12):1938-1954. doi:10.25

Arakelyan, Stella et al. “Community-based participation of children with and without disabilities.” Developmental medicine and child neurology vol. 62,4 (2020): 445-453.

Kao, Ying-Chia et al. “Association between impairment, function, and daily life task management in children and adolescents with autism.” Developmental medicine and child neurology vol. 57,1 (2015): 68-74.

Rožkalne Z, Mukāns M, Vētra A. Transition-Age Young Adults with Cerebral Palsy: Level of Participation and the Influencing Factors. Medicina (Kaunas). 2019 Nov 14;55(11):737.

Milićević M, Nedović G. Comparative study of home and community participation among children with and without cerebral palsy. Res Dev Disabil. 2018 Sep;80:74-83.

Bult MK, Verschuren O, Lindeman E, Jongmans MJ, Westers P, Claassen A, Ketelaar M. Predicting leisure participation of school-aged children with cerebral palsy: longitudinal evidence of child, family and environmental factors. Child Care Health Dev. 2013 May;39(3):374-80.

Alghamdi MS, Chiarello LA, Palisano RJ, McCoy SW. Understanding participation of children with cerebral palsy in family and recreational activities. Res Dev Disabil. 2017 Oct;69:96-104.

Amini M, Saneii SH, Pashmdarfard M. Factors affecting social participation of Iranian children with cerebral palsy. Occup Ther Health Care. 2018 Jul;32(3):290-305.

Walsh, Jeremy J et al. “Associations between 24 hours movement behaviours and global cognition in US children: a cross-sectional observational study.” The Lancet. Child & adolescent health vol. 2,11 (2018): 783-791.

Brandão MB, Gordon AM, Mancini MC. Functional impact of constraint therapy and bimanual training in children with cerebral palsy: a randomized controlled trial. Am J Occup Ther. 2012;66(6):672-681.

Brandão MB, Mancini MC, Vaz DV, Pereira de Melo AP, Fonseca ST. Adapted version of constraint-induced movement therapy promotes functioning in children with cerebral palsy: a randomized controlled trial. Clin Rehabil. 2010;24(7):639-647.

Anaby D, Korner-Bitensky N, Steven E, Tremblay S, Snider L, Avery L, Law M. Current Rehabilitation Practices for Children with Cerebral Palsy: Focus and Gaps. Phys Occup Ther Pediatr. 2017 Feb;37(1):1-15.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 REVISTA INTERDISCIPLINAR CIÊNCIAS MÉDICAS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

INDEXAÇÕES 

     

 

 

 

ISSN 2526-3951