PREVALÊNCIA DE LESÕES DE PELE E SUBCUTÂNEO NO AMBULATÓRIO DE CLÍNICA CIRÚRGICA DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA DE ENSINO SUPERIOR

Autores

  • Gabriel Cançado de Morais Ribeiro
  • Enzo Luiz Rezende Novaes
  • Gabriel Pacheco Vasconcelos
  • Thiago de Almeida Furtado

Palavras-chave:

Cirurgia ambulatorial, Nevos e melanomas, Perfil epidemiológico, Prevalência

Resumo

Introdução: A cirurgia ambulatorial é uma área da medicina que surgiu a partir da necessidade de se reduzir as filas de espera para pequenas intervenções cirúrgicas, bem como o tempo de internação e os custos de uma possível hospitalização. Procedimentos para retirada ou biópsia de lesões de pele e subcutâneo são recorrentes na prática cirúrgica ambulatorial. Objetivo: Traçar o perfil epidemiológico e a prevalência de todos os tipos de lesões de pele e subcutâneo tratadas no ambulatório de clínica cirúrgica de uma instituição privada de ensino superior entre setembro e dezembro de 2021. Método: Trata-se de um estudo transversal realizado por meio da análise dos resultados anatomopatológicos de pacientes atendidos entre os meses de setembro e dezembro de 2021. Foi realizada uma análise descritiva acerca da prevalência das lesões, além de uma análise comparativa entre as lesões. Resultado: Foram avaliadas 559 lesões no período proposto, sendo 231 (41,3%) em pacientes do sexo masculino e 328 (58,7%) em pacientes do sexo feminino. Destas, a prevalência de lesões pré-malignas foi 17 (3%), e a prevalência de lesões malignas foi de 23 (4,1%). A única lesão pré-maligna encontrada foi a ceratose actínica. As lesões malignas encontradas foram: carcinoma basocelular, carcinoma de células escamosas e lentigo maligno. Conclusão: As lesões benignas de pele e subcutâneo representaram a maior parte das lesões tratadas no ambulatório de clínica cirúrgica de uma instituição de ensino superior privada, com destaque para os lipomas. Os dados referentes às lesões malignas foram compatíveis com os encontrados na literatura.

Downloads

Publicado

21-08-2023